06.12.2018 Artigos

Na Nova era Jurídica, vai crescer quem se antecipar, entendendo o que os clientes querem.

Se você trabalha com a área de Branding e Marketing, já deve ter usado os sinais de intenção do consumidor nas suas estratégias. Agora se você é Advogado, talvez não saiba como utilizar essas metodologias.

Empatia – entender as vontades das pessoas e saber como entregar experiências relevantes a elas é cada vez mais fundamental. Mas é possível ir além e antecipar o que o público ainda vai querer? É isso que as novas tecnologias de marketing permitem.

O consumidor é bem dinâmico e é cada vez mais difícil para os profissionais da área Jurídica entenderem os sinais de intenção que as pessoas deixam por aí. Isso porque, enquanto procuram o que precisam, as pessoas alternam entre vários canais e aparelhos.

Elas iniciam na pesquisa e terminam vendo um vídeo, por exemplo. As grandes marcas como Nike, Apple, entenderam essa dinâmica e começaram a estimular  comidas utilizando o YouTube.

Assim como as marcas, os Advogados e Escritórios precisam fazer malabarismos ao trabalhar com dados digitais, utilizando as ferramentas corretas e respeitando o código de ética da OAB. Hoje existem caminhos para construir uma Marca forte no mercado, porém poucos Advogados investem em comunicação e construção da sua marca no mercado. Muitos ainda estão em um retrocesso, dizendo que os grandes negócios são realizados através da indicação e ou na Mesa do Bar/Restaurante. Não deixando de lado essa maneira de fazer negócios, mas na Nova Era Jurídica e 100% digital, só isso não funciona mais. Todo esse trabalho manual não é suficiente. Os consumidores esperam mais: eles podem procurar os seus serviços ao ver um vídeo seu no Youtube, ou um post nas redes sociais ou lendo um artigo seu no website. Mas não para por aí, eles querem assistência em todas as etapas da compra. Por isso, os profissionais precisam estar sempre à frente: é hora de prever as necessidades das pessoas em todos os passos da jornada.

Entender o comportamento e o perfil do seu público, é possível ter insights reais, e em escala, para entender os desejos e anseios do consumidor. Assim, em vez de fazer planejamentos fragmentados de comunicação e Marketing, você vai atrás do que as pessoas querem,  Os Advogados e Escritórios podem construir e consolidar suas as marcas, podem estruturar um mecanismo para prever as suas necessidades ao longo de toda a jornada. E, planejar tudo isso no Plano Estratégico, que poucos, ou a minoria faz.

Para isso, é preciso focar em três ações:

1 | Alinhar o seu Posicionamento x Identidade x Imagem = Como eu gostaria de ser percebido no mercado? Um trabalho de entendimento profundo. Sem auto-sabotagem.

2 | Construir um Plano Estratégico consistente, com definições claras dos caminhos necessários à seguir. Com metas bem definidas.

3 | Explorar a experiência do consumidor, criando vínculos, gerando engajamento, se aproximando dele em todos os pontos de contato. Principalmente o virtual.

4 | Explorar o customer lifetime value(valor do ciclo de vida do usuário, ou CLV);

5 |  Respeitar seu posicionamento, ressaltar seus diferencias invisíveis e fazer o mecanismo funcionar à base de uma comunicação eficiente. Nas plataformas off e on-line, principalmente aquelas voltadas a dados.

O resultado disso é uma experiência útil para os clientes e que traz novas oportunidades para os negócios.

Helio Moreira | Professor da FIA-USP no Curso de Gestão Estratégica Jurídica. Especialista em Branding e Diretor da NewGrowing Branding, escritório especializado em construção e comunicação de marcas para escritórios de Advocacia.

VEJA TAMBÉM

Branding – 4 dicas para construir o Branding da sua empresa

Branding não é criação de logotipo ou identidade visual, ele envolve todos os pontos de contato da {...}

4 passos para melhorar a experiência do paciente em seu consultório ou clínica.

O mundo evoluiu, e com ele a forma dos clientes consumirem produtos e serviços e, também sua {...}

Deixe seu comentário!