04.12.2014 Entrevistas

Marca forte: Sinônimo de eficiência

A marca de uma empresa é o cartão de visita no mundo dos negócios.

Um simples nome pode ser sinônimo de sucesso ou fracasso perante os consumidores, fornecedores e concorrentes. Mas será tão simples assim? Escolher o nome que irá representar toda a visão e missão da empresa, os produtos oferecidos, seu posicionamento com relação ao mercado, público, mundo, convenhamos, não é lá uma tarefa muito fácil. E como escolher um nome que perdure por muito tempo e fique marcado nas preferências e memória das pessoas? Isso requer muito estudo e planejamento para que se pense estrategicamente em todas as questões que envolvem o surgimento de uma empresa.

Mas e o empreendimento que já está no mercado há alguns anos e sente que algo não está indo muito bem. Números caíram, não há cativação de novos consumidores e há queda frente à concorrência. Ou então a empresa recém-inaugurada que não teve a aceitação esperada no mercado. O que fazer? Nessas situações, a consulta com especialistas em branding pode ser uma alternativa para fazer um estudo e levantamento da marca: pontos positivos e negativos, identidade visual, relação com os produtos da empresa, entre outras questões importantes.

Se a conclusão for uma mudança de marca, o que fazer? Como saber o momento de mudar de estratégia? O que levar em conta nesse processo? Quais os benefícios e vantagens com a mudança? Como pensar nesse processo? Esses e muitos outros questionamentos serão respondidos a seguir por especialistas no assunto. Além de dicas, você poderá acompanhar o relato de empresas que passaram por um processo de mudança ou reposicionamento da marca, no qual representantes contam como foi o processo, as dificuldades encontradas e como foi feita a divulgação. Confira na reportagem a seguir.

 

Qual é o momento de mudar uma marca?

A marca é o mais importante ativo intangível de qualquer empresa. Como qualquer patrimônio, sempre há a necessidade de ser gerenciado, cuidado e mantido em perfeitas condições e, qualquer situação diferente dessa, traz prejuízos que podem ser incalculáveis. Para descobrir quando se é necessário realizar um processo de alteração, é preciso sempre conversar com um especialista, um consultor de branding, experiente e responsável, colocar as dificuldades encontradas, expectativas, para que ele possa indicar se é válido fazer um pequeno ajuste ou reposicionar a marca. Esse processo de branding reconecta a marca com seus valores mais profundos. “Inicia-se com as definições dos pilares da marca e vai até a ativação desses valores em todas as suas formas de manifestação”, explica o sócio da 6D, Tola Faria.

O diretor de planejamento da B1 Comunicação e Marketing, Bira Miranda, explica que a mudança de uma marca sempre está ligada a momentos em que é necessário mostrar a todos os públicos-alvo de uma empresa ou produto, que algo muito forte, realmente relevante está acontecendo. Segundo o diretor, não se muda uma marca só por cosmética. “A mudança precisa ser fruto de estudos que deem segurança para tomada de decisão, avaliando os impactos em todos os níveis, identificando barreiras a serem vencidas, investimentos necessários, projeção de ganhos advindos de todo o processo. Não se deve, nunca, agir no ímpeto, com pressa, queimando etapas. Planejamento é fundamental para o sucesso desse processo”, orienta.

Uma mudança de marca tem que ter elementos que consolidem essa necessidade e a nova tem que ter sintonia com a personalidade da empresa. O presidente do Conselho de Administração da Ativia Saúde, Cooperativa Médica que passou por processo de alteração, Joaquim Ferreira Neto, afirma que, se não houver certeza, não inicie um processo. “Mesmo com a certeza da necessidade de mudança, só faça com um ótimo planejamento e com toda a equipe tanto interna como externa sincronizadas. E tenha os elementos de defesa da mudança muito bem consolidados, pois sempre aparecerá alguém com uma opinião contrária. E este, se não for convencido, não pode ter força para atrapalhar”, aconselha.

Não há um prazo para mudar uma marca e sim uma necessidade. Ela pode ser de cunho estratégico devido a um reposicionamento, fusão ou até mesmo por tempo de vida, quando uma marca visualmente estiver envelhecida e o visual não acompanha as novas tendências do mercado, crescimento da empresa etc. “Nesses casos, devem ser analisadas as circunstâncias para definir o que é melhor para a empresa. Vamos conseguir achar uma solução após um diagnóstico para criar uma estratégia”, relata o diretor de planejamento da NewGrowing Branding & Design, Helio Moreira.

Fonte: http://www.mpbrasil.com/novo/marca-forte/

VEJA TAMBÉM

Empresa B2B também investe na construção de imagem?

.Não investir em ferramentas essenciais como comunicação, branding e marketing podem custar caro num cenário cada vez {...}

Como a embalagem ajuda a aumentar as vendas de um produto?

  Para vencer a disputa pela atenção do consumidor, empresas precisam ser criativas. E a embalagem tem {...}

Deixe seu comentário!